ORNITOBLOG

Blog do ORNITONÚCLEO da Universidade de Évora

17 março, 2007

Lagoa dos Patos - 04-03-2007 e 11-03-2007

Poucas coisas conseguem ser tão agradáveis quanto a contemplação da Natureza, e se a pudermos desfrutar num lugar onde a biodiversidade seja sobejamente elevada melhor! É por estas coisas simples que escolhemos a lagoa dos Patos em Alvito para visitar: um hotspot mesmo às portas de nossa casa.

A Lagoa dos Patos consiste num (no) dos locais do interior Sul do país mais importantes como local de refúgio de aves aquáticas: patos, garças, galeirões, corvos-marinhos e algumas límicolas tipicamente costeiras. Consiste num conjunto de duas lagoas numa planície aberta, meadas por um pinhal relativamente recente e áreas de arrozal.

Apesar de à partida parecer uma lagoa perfeitamente normal (que na realidade é uma albufeira) no momento em que metemos os binóculos: é ver os mergulhões-de-crista em parada nupcial, centenas de gaivotas-de-asa-escura e guinchos, várias espécies de patos e uma colónia de garças-reais, etc, etc. Este é o único local do país onde no Inverno a presença de garça-branca-grande é garantida e dos poucos do Alentejo onde se pode observar a íbis-preta. Na segunda saída há a destacar a observação de um rouxinol-pequeno-dos-caniços a cantar que consistiu num dos registos mais precoces da temporada primaveril deste ano no nosso país.

Para além de aves também observámos 12 espécies de borboletas, 1 Rhinechis scalaris, 1 Salamandra salamandra, 1 Triturus pygmaeus, várias Pelophylax perezi, bem como Psamodrommus algirus e Oryctolagus cuniculus e Lepus granatensis, 2 Crocidura russula e 1 Apodemus sylvaticus no ninho com crias.


Espécies observadas na saída de dia 4 (total: 77):

Mergulhão-pequeno Tachybaptus rufficolis
Mergulhão-de-crista Podiceps cristatus
Corvo-marinho Phalacrocorax carbo
Garça-boieira Bubulcus ibis
Garça-branca-pequena Egretta garzetta
Garça-branca-grande Egretta alba
Garça-real Ardea cinerea
Garça-vermelha
Ardea purpurea
Cegonha-branca Ciconia ciconia
Íbis-preta Plegadis falcinellus
Pato-real Anas platyrhynchos
Pato-trombeteiro Anas clypeata
Marrequinha Anas crecca
Frisada Anas strepera
Piadeira Anas penelope
Zarro-comum Aythya ferina
Zarro-negrinha Aythya fuligula
Peneireiro-cinzento Elanus caeruleus
Milhafre-real Milvus milvus
Tartaranhão-ruivo-dos-pauís Circus aeruginosus
Águia-de-asa-redonda Buteo buteo
Peneireiro-vulgar Falco tinnunculus
Perdiz-comum Alectoris rufa
Codorniz Coturnix coturnix
Galinha-d’água Gallinula chloropus
Galeirão Fulica atra
Alcaravão Burhinus oedicnemus
Perna-longa Himantopus himantopus
Alfaiate Recurvirostra avosetta
Borrelho-pequeno
Charadrius dubius
Pilrito-comum Calidris alpina
Maçarico-de-bico-direito Limosa limosa
Perna-vermelha Tringa totanus
Bique-bique Tringa ochropus
Maçarico-das-rochas Actitis hypoleucos
Combatente Philomachus pugnax
Narceja Gallinago gallinago
Gaivota-de-asa-escura Larus fuscus
Guincho Larus ridibundus
Rola-turca Streptopelia decaocto
Cuco-rabilongo Clamator glandarius
Poupa Upupa epops
Cotovia-de-poupa Galerida cristata
Cotovia-pequena Lullula arbórea
Laverca Alauda arvensis
Andorinha-das-chaminés Hirundo rustica
Andorinha-dos-beirais Delichon urbicum
Petinha-dos-prados Anthus pratensis
Alvéola-branca Motacilla alba
Carriça Troglodytes troglodytes
Rouxinol-bravo
Cettia cetti
Fuinha-dos-juncos Cisticola juncidis
Toutinegra-de-cabeça-preta Sylvia melanocephala
Toutinegra-de-barrete Sylvia atricapilla
Felosa-comum Phylloscopus collybita
Pisco-de-peito-ruivo Erithacus rubecula
Cartaxo-comum Saxicola torquata
Melro-preto Turdus merula
Trepadeira-comum Certhia brachydactyla
Chapim-azul Parus caeruleus
Chapim-real Parus major
Gaio Garrulus glandarius
Pega-azul Cyanopica cyanus
Pega-rabuda Pica pica
Gralha-preta Corvus corone
Estorninho-preto Sturnus unicolor
Picanço-real Lanius meridionalis
Pardal-comum Passer domesticus
Pardal-espanhol Passer hispaniolensis
Pardal-montês Passer montanus
Bico-de-lacre Estrilda astrild
Tentilhão Fringilla coelebs
Verdilhão Carduelis chloris
Pintassilgo Carduelis carduelis
Pintarroxo Carduelis cannabina
Chamariz Serinus serinus
Trigueirão Miliaria calandra



Image Hosted by ImageShack.us Íbis-preta - Plegadis falcinellus

Espécies que foram observadas na saída de dia 11 e que não tinham sido observadas na saída anterior (nesta saída também fomos à Serra de Mendro e de Portel):

Fuselo Limosa lapponica
Pica-pau-galego Dendrocopus minor
Cotovia-montesina Galerida theklae
Andorinha-das-rochas Ptynoprogne rupestris
Rouxinol-pequeno-dos-caniços Acrocephalus scirpaceus
Toutinegra-do-mato Sylvia undata
Toutinegra-de-bigode Sylvia cantillans
Pisco-de-peito-azul Luscinia svecica
Trepadeira-azul Sitta europaea
Escrevedeira-de-garganta-preta Emberiza cirlus


Nº total de espécies observadas nas 2 saídas: 87.

Image Hosted by ImageShack.us Garça-real - Ardea cinerea

Image Hosted by ImageShack.us Toutinegra-do-mato - Sylvia undata

Participantes na saída de dia 4: Ana Almeida, Hugo Casco, Marco Caetano, Patrícia Dias e Pedro Pereira.

Participantes na saída de dia 11: Edgar Gomes, Fabio Paiva, Guilherme Dias, Marco Caetano e Pedro Pereira.

25 janeiro, 2007

12-01-2007 - Mitra

Neste dia eu (Pedro) e o Marco fomos passear à Mitra numa daquelas combinações de véspera – que por sinal são as melhores. Por lá ficámos a fazer birdwatching das 9h00 às 16h30.

Logo ao início registámos espécies já esperadas por serem aves comuns de Inverno – como a petinha-dos-prados, toutinegra-de-barrete e alvéolas-brancas. À medida que fomos avançado no montado misto (azinho e sobro) fomos contactando com os piados dos tentilhões e as tagarelices dos chapins-azuis e reais.

Image Hosted by ImageShack.usAlvéola-cinzenta - Motacilla cinerea

Perto de uma zona de matos de sargaços pudémos atrair as tímidas ferreirinhas e as minúsculas estrelinhas com o auxílio do rádio. Por todo o montado, os “pst-pst” dos piscos fazem sentir a sua presença. Na galeria rípicola as saltitantes felosinhas eram relativamente abundantes – debicando insectos – nos raminhos dos freixos e amieiros. Dentro de outras espécies observadas na galeria rípicola há a destacar o dom-fafe e o bico-grossudo – dois dos fringilideos mais esquivos da nossa fauna.

No pinhal perto da albufeira os gaios e as pegas-azuis eram as espécies mais barulhentas, mas por nossa “surpresa” observámos um pica-pau-galego, bem como as 2 restantes espécies de pica-paus (malhado e verde).

Image Hosted by ImageShack.usPica-pau-galego - Dendrocopos minor

A albufeira e imediações apesar de não muito abundante em espécies possuía elevados números de algumas aves: 23 garças-reais, 180 corvos-marinhos, mais de uma centena de gaivota-de-asa-escura e de abibe, mais de 50 tarambolas-douradas e 11 galinhas-de-água – algumas pousadas nas árvores da margem....

Image Hosted by ImageShack.usCorvo-marinho - Phalacrocorax carbo

Apesar de não ser extraordinário, é sempre de registar um mocho-galego a vocalizar às 13h38. Observámos elevadas concentrações de Carassius auratus possivelmente em desova.

Na margem direita da albufeira, a vinha domina a paisagem, o que atrai aves típicas de campo aberto como sejam: as lavercas, trigueirões, pardais-espanhois e bandos mistos de fringilideos – pintarroxos e chamarizes as espécies mais comuns. Quanto às rapinas, além das omnipresentes águias-de-asa-redonda, foram observados 6 milhafres-reais e um milhafre-preto – a primeira ave do ano – já que esta espécie apenas costuma chegar à área em inícios de Março!

Image Hosted by ImageShack.usMilhafre-preto - Milvus migrans

Image Hosted by ImageShack.usMilhafre-preto - Milvus migrans

No regresso observámos um bando de cerca de 50 alvéolas-brancas possivelmente em direcção a um dormitório.

Image Hosted by ImageShack.usBico-grossudo - Coccothraustes coccothraustes

Lista das Espécies Observadas – total: 65.

Corvo-marinho - Phalacrocorax carbo
Garça-boieira - Bubulcus ibis
Garça-branca - Egretta garzetta
Garça-real - Ardea cinerea
Cegonha-branca - Ciconia ciconia
Pato-real - Anas platyrhynchos
Milhafre-real – Milvus milvus
Milhafre-preto – Milvus migrans
Águia-de-asa-redonda - Buteo buteo
Perdiz - Alectoris rufa
Galinha-d'água - Gallinula chloropus
Abibe - Vanellus vanellus
Tarambola-dourada - Pluvilais apricaria
Narceja-comum - Gallinago gallinago
Maçarico-das-rochas - Actitis hypoleucos
Gaivota-de-asa-escura - Larus fuscus
Rola-turca - Streptopelia decaocto
Pombo-torcaz - Columba palumbus
Mocho-galego – Athene noctua
Guarda-rios - Alcedo atthis
Pica-pau-verde – Picus viridis
Pica-pau-malhado - Dendrocopos major
Pica-pau-galego – Dendrocopos minor
Cotovia-de-poupa - Galerida cristata
Cotovia-pequena - Lullula arborea
Laverca - Alauda arvensis
Petinha-dos-prados - Anthus pratensis
Alvéola-branca - Motacilla alba
Alvéola-cinzenta – Motacilla cinerea
Carriça – Troglodytes troglodytes
Ferreirinha – Prunella modularis
Pisco-de-peito-ruivo - Erithacus rubecula
Rabirruivo-preto – Phoenicurus ochruros
Cartaxo-comum - Saxicola torquata
Tordo-comum - Turdus philomelos
Tordeia – Turdus viscivorus
Melro-preto - Turdus merula
Fuinha-dos-juncos - Cisticola juncidis
Toutinegra-de-cabeça-preta - Sylvia melanocephala
Toutinegra-de-barrete – Sylvia atricapilla
Felosa-comum - Phylloscopus collybita
Estrelinha-de-cabeça-listada – Regulus ignicapillus
Picanço-real - Lanius meridionalis
Estorninho-preto - Sturnus unicolor
Gralha-preta - Corvus corone
Corvo – Corvus corax
Gaio-comum - Garrulus glandarius
Pega-azul - Cyanopica cyanus
Pega-rabuda – Pica pica
Chapim-real - Parus major
Chapim-azul - Parus caeruleus
Chapim-de-poupa – Parus cristatus
Trepadeira-comum - Certhia brachydactyla
Trepadeira-azul - Sitta europaea
Chapim-rabilongo – Aegithalus caudatus
Pardal-comum - Passer domesticus
Pardal-espanhol – Passer hispaniolensis
Tentilhão-comum - Fringilla coelebs
Chamariz - Serinus serinus
Verdilhão - Carduelis chloris
Pintassilgo - Carduelis carduelis
Pintarroxo - Carduelis cannabina
Bico-grossudo – Coccothraustes coccotrausthes
Dom-fafe – Pyrrhula pyrrhula
Trigueirão - Miliaria calandra

24 dezembro, 2006

Saída de Campo ao Estuário do Tejo – 22 de Dezembro de 2006

Image Hosted by ImageShack.us

O estuário do Tejo é a maior e mais extensa zona húmida do país. Os variados habitats (águas livres do estuário, vasa, sapal, caniçal, lezíria, montado e pinhal) permitem a ocorrência de cerca de duas centenas de espécies de aves ao longo do ciclo anual. É aqui que se encontram as maiores concentrações invernantes de patos, límicolas, flamingos e gaivotas, que contribuíram para que fosse considerada Reserva Natural, Sítio Ramsar e ZPE – Zona de Protecção Especial para Aves e mais recentemente IBA – Important Bird Area.

“Ponta da Erva” 7h30-11h30
A zona da “Ponta da Erva” consiste numa extensa área de lezíria e valas que termina 12 km depois junto da foz do rio Sorraia.

Image Hosted by ImageShack.usO nascer do sol na Ponta da Erva

Nos canais ladeados de caniços observaram-se, entre outras espécies, várias galinhas-d’água, que nadavam a “cabecear” enquanto se dirigiam apressadamente para o abrigo, bandos de patos-reais atentos ao menor ruído e um ou outro rouxinol-bravo a cantar oculto na vegetação. Apressadamente de caniços em caniços voavam escrevedeiras-dos-caniços, e grandes bandos de bicos-de-lacre, bem como outros de tecelões-de-cabeça-amarela, ambas espécies de origem africana introduzidas na nossa fauna. Na lezíria, foram registados bandos de abibes dispersos, lavercas em voo, detectadas pelos seus chamamentos gorgolejantes e várias alvéolas-brancas – incluindo um indivíduo da sub-espécie britânica yarrellii de dorso preto. As rapinas observadas proporcionaram boas fotografias, sendo de destacar a elevada densidade peneireiros-cinzentos e uma fêmea/juvenil de tartaranhão-cinzento, além dos já esperados peneireiro-vulgar, tartaranhões-dos-pauís e águias-de-asa-redonda. Nos casões por entre os residentes estorninhos-pretos encontravam-se alguns estorninhos-malhados vindos do norte da Europa. Na foz do Sorraia, na zona de vasa alimentavam-se e repousavam várias limícolas, tais como alfaiates, pernas-longas e maçaricos-de-bico-direiro. Sobre as nossas cabeças voaram dois bandos de gansos-bravos, enquanto que as marrequinhas se iam deliciando nas margens do rio, onde perto, numa zona de caniçal ladeado por sapal esvoaçavam irrequietos piscos-de-peito-azul, toutinegras-de-cabeça-preta e felosas-comuns. No caminho de regresso foi ainda observado um esquivo saca-rabos em direcção aos caniços.

Image Hosted by ImageShack.us Trigueirão - Miliaria calandra



Image Hosted by ImageShack.usPetinha-dos-prados - Anthus pratensis

Image Hosted by ImageShack.usPeneireiro-cinzento - Elanus caeruleus. Observámos este indivíduo a peneirar e a capturar um rato! Nesta foto é possível ver o rato preso nas garras da pata esquerda.

Image Hosted by ImageShack.usPintassilgo - Carduelis carduelis

Image Hosted by ImageShack.usFuinha-dos-juncos - Cisticola juncidis

Image Hosted by ImageShack.usTartaranhão-dos-pauis - Circus aeruginosus

“Pancas” 12h30-14h30
Aqui o habitat muda drasticamente, montados de sobro associam-se a pinhais envolvidos por áreas abertas.

Image Hosted by ImageShack.usHora do almoço em Pancas. O Pedro conseguiu atrair algumas aves com a ajuda da sua mini-aparelhagem e cds com vocalizações.

Desta feita, eram esperadas espécies florestais, bem como chapins e trepadeiras, gaio, pica-pau-malhado, cotovia-pequena e tentilhão. Nas áreas mais abertas, foi observada uma poupa no seu voo ondulante e caçavam incessantemente peneireiros-vulgares e cinzentos, e como acompanhantes de gado bovino e de cavalos alimentavam-se as oportunistas garças-boieiras. Em áreas de montados de sobro centenas de pombos-torcazes certamente em busca das apetitosas bolotas. À saída do Monte de Pancas, em direcção a Alcochete, os coelhos eram tão extraordinariamente abundantes que uma fêmea de tartaranhão-dos-pauis não desperdiçou a oportunidade de capturar um deles.

Image Hosted by ImageShack.usCoelho-bravo - Oryctolagus cuniculus

“Samouco” 15h20-16h20
Como terceiro local de observação escolhemos as “Salinas do Samouco”, onde observámos imensas espécies de aves aquáticas, nomeadamente de limícolas, com relativa facilidade.

Image Hosted by ImageShack.usGarça-branca - Egretta garzetta

Ao menor movimento os perna-longa voavam agitados e emitindo as suas vocalizações estridentes. As gaivotas-de-asa-escura repousaram em grande número acompanhadas por um ou outro guincho, enquanto 3 garajaus preferiam formar um grupo mono-específico.

Image Hosted by ImageShack.us 1 rola-do-mar (Arenaria interpres) e 3 garajaus (Sterna sandvicensis).

Nos corredores que ladeiam os tanques, corriam borrelhos e pilritos, enquanto que as mais pacíficas rolas-do-mar, que formavam um grupo bastante contrastante dada a coloração escura da sua plumagem. Além dos comuns maçaricos-de-bico-direito e tarambolas-cinzentas, observaram-se também um perna-vermelha-escuro e três maçaricos-galegos.

Image Hosted by ImageShack.us Algumas tarambolas-cinzentas (Pluvialis squatarola), rolas-do-mar (Arenaria interpres) e guinchos (Larus ridibundus).

Image Hosted by ImageShack.us Alfaiate - Recurvirostra avosetta

“Barroca” 17h00-18h00
No “Paul da Barroca” nos restolhos de arrozal caçavam cegonhas e garças-reais. Entre as rapinas observadas contam-se 2 peneireiros-cinzentos e um casal de tartaranhões-dos-pauis a caçar.

Image Hosted by ImageShack.usPeneireiro-cinzento - Elanus caeruleus

No interior de um antigo moinho encontramos um coruja-das-torres, infelizmente, recentemente morta. Ao anoitecer, bandos de maçaricos-de-bico-direito e flamingos dirigiam-se para os seus dormitórios, quando por súbito, 3 íbis-pretas passaram em voo – a razão da ida ao paul –, uma espécie que recentemente recolonizou o nosso país, após ter estado extinta durante quase um século. Quase de partida, ainda pudemos atrair dois frangos-d’água com o auxílio de um rádio com as suas vocalizações mas, como de costume secretivos, apenas permitiram que ouvíssemos os seus grunhidos – tipo porco.

Image Hosted by ImageShack.usO pôr do Sol no Paul da Barroca

Lista das Espécies Observadas – total: 80.

Corvo-marinho
- Phalacrocorax carbo
Garça-boieira
- Bubulcus ibis
Garça-branca
- Egretta garzetta
Garça-real
- Ardea cinerea
Colhereiro
- Platalea leucorodia
Ibis-preta
- Plegadis falcinellus
Cegonha-branca
- Ciconia ciconia
Flamingo
- Phoenicopterus roseus
Ganso-bravo
- Anser anser
Pato-real
- Anas platyrhynchos
Marrequinha
- Anas crecca
Peneireiro-cinzento
- Elanus caeruleus
Tartaranhão-cinzento
- Circus cyaneus
Tartaranhão-dos-pauis
- Circus aeruginosus
Águia-de-asa-redonda
- Buteo buteo
Peneireiro-vulgar
- Falco tinnunculus
Perdiz
- Alectoris rufa
Galinha-d'água
- Gallinula chloropus
Frango-d'água
- Rallus aquaticus
Perna-longa
- Himantopus himantopus
Alfaiate
- Recurvirostra avosetta
Abibe
- Vanellus vanellus
Tarambola-cinzenta
- Pluvilais squatarola
Borrelho-grande-de-coleira
- Charadrius hiaticula
Borrelho-de-coleira-interrompida
- Charadrius alexandrinus
Rola-do-mar
- Arenaria interpres
Pilrito-comum
- Calidris alpina
Pilrito-da-areia
- Calidris alba
Maçarico-de-bico-direito
- Limosa limosa
Fuselo
- limosa lapponica
Maçarico-galego
- Numenius phaeopus
Narceja-comum
- Gallinago gallinago
Maçarico-das-rochas
- Actitis hypoleucos
Maçarico-bique-bique
- Tringa ochropus
Perna-vermelha-comum
- Tringa totanus
Perna-vermelha-escuro
- Tringa erythropus
Perna-verde
- Tringa nebularia
Guincho
- Larus ridibundus
Gaivota-de-asa-escura
- Larus fuscus
Garajau
- Sterna sandvicensis
Andorinha-do-mar-comum
- Sterna hirundo
Rola-turca
- Streptopelia decaocto
Pombo-torcaz
- Columba palumbus
Poupa
- Upupa epops
Guarda-rios
- Alcedo atthis
Pica-pau-malhado
- Dendrocopos major
Cotovia-de-poupa
- Galerida cristata
Cotovia-pequena
- Lullula arborea
Laverca
- Alauda arvensis
Petinha-dos-prados
- Anthus pratensis
Alvéola-branca
- Motacilla alba
Pisco-de-peito-ruivo
- Erithacus rubecula
Pisco-de-peito-azul
- Luscinia svecica
Cartaxo-comum
- Saxicola torquata
Tordo-comum
- Turdus philomelos
Melro-preto
- Turdus merula
Fuinha-dos-juncos
- Cisticola juncidis
Rouxinol-bravo
- Cettia cetti
Toutinegra-de-cabeça-preta
- Sylvia melanocephala
Felosa-comum
- Phylloscopus collybita
Picanço-real
- Lanius meridionalis
Estorninho-preto
- Sturnus uniclor
Estorninho-malhado
- Sturnus vulgaris
Gralha-preta
- Corvus corone
Gaio-comum
- Garrulus glandarius
Pega-azul
- Cyanopica cyanus
Chapim-real
- Parus major
Chapim-azul
- Parus caeruleus
Trepadeira-comum
- Certhia brachydactyla
Trepadeira-azul
- Sitta europaea
Pardal-comum
- Passer domesticus
Tecelão-de-cabeça-amarela
- Euplectes afer
Bico-de-lacre
- Estrilda astrild
Tentilhão-comum
- Fringilla coelebs
Chamariz
- Serinus serinus
Verdilhão
- Carduelis chloris
Pintassilgo
- Carduelis carduelis
Pintarroxo
- Carduelis cannabina
Trigueirão
- Miliaria calandra
Escrevedeira-dos-caniços
- Emberiza schoeniclus

Links Importantes:
http://www.spea.pt/IBA/ibas/21.html
http://darwin.icn.pt/sipnat/wgetent?userid=sipnat&type=ramecran1&codigo=PT34B0100

Participantes na Saída:
Ana Ferreira, Ana Rodrigues, Bruno Pacheco, Denis Medinas, Liliana Carolino, Luís Sousa, Marco Caetano, Nuno Lopes, Pedro Pereira e Rafael Carvalho.


Pedro Pereira

Benvindos ao OrnitoBlog




Olá a todos, este é o Blog do Ornitonúcleo da Universidade de Évora. Os seus principais objectivos consistem na divulgação das actividades do núcleo e na promoção do Estudo das Aves em geral. No público-alvo do Blog não se incluem apenas aqueles que têm connosco o gosto comum da Ornitologia, mas também todos aqueles que são sensíveis às questões da preservação da Biodiversidade.
Se assim desejarem podem deixar-nos as vossas opiniões e críticas,
Obrigado pela visita.


imagem: Bico-grossudo (Coccothraustes coccothraustes)